Por aí (Edição Portugal)

Salve, galera massa! “Por aí” pousando aqui no Tsblog neste mês de fevereiro já em ritmo de carnaval. Continuando pela Europa, vamos hoje dar uma passada em nossos compatriotas linguístico e ver, ou melhor, escutar o que os miúdos tem escutado por lá ao longo da sua “trajetória animística”! Sejam todos muito bem-vindos ao “Por aí” edição Portugal.

Digimon 2 – Abertura

Ao contrário da nossa versão, Portugal foi contemplada com uma versão da tv completa (1:30 segundo, contra menos de 1 minuto da nossa versão) desse nostálgico tema de abertura.

Shaman King – Abertura

Particularmente acho esse tema português melhor que as versões brasileira e japonesa juntas (gosto de ambas, mas
os portugas deram um pau na gente, tenho de admitir ). Reparem nos backvocals no final da canção! Show demais!

El Hazard  – Abertura

Clássico absoluto essa canção. Na versão portuguesa, este tema foi rearranjado, decidiram não usar o arranjo original e inseriram até um saxofone a la Kid abelha. Sem rasgação de seda, mas Brasil castiga nessa aqui. Salve Nil Bernardes!

Sailor Moon (Navegantes da lua) – Abertura

Em Portugal decidiram utilizar o tema de encerramento como abertura da série Sailor Moon (que lá se chama “Navegantes da lua” ). O resultado você confere abaixo:

Dragon Ball – Abertura

Esse é um dos temas mais “autênticos” que eu já vi. Versão completamente de tudo que se poderia esperar para uma música do Dragon Ball (a versão polonesa da abertura do Dragon Ball possui este mesmo arranjo). Confiram!

Galera, é isso! Volto em breve com algumas bombas pra jogar aqui e na comu do orkut. Detalhe: comentem os tópicos, isso só engrandece e divulga nosso trabalho!
Tsb anime. Rumo ao maior espaço nacional de temas brasileiros de anime!

11 comentários em “Por aí (Edição Portugal)

  1. Correcção, a abertura portuguesa do Dragon Ball usou a abertura francesa traduzida, não a abertura “polonesa” (em português de Portugal, “polaca”). Aliás, a abertura “polonesa” que você é a mesma que a francesa.

  2. Normalmente repudio versões portuguesas, porém a abertura portuguesa de Tenchi Muyo considero excelente:
    É uma pena não terem feito a abertura brasileira de Tenchi Universe em cima dessa música (que é a oficial da série de TV), a música que usaram aqui no Brasil na realidade é do OVA.

    1. É verdade, Arthur, não usaram aqui a música original japa, sabe-se lá por que, né? Seja como for, essa canção aí que você citou, acho espetacular a versão chilena. Procure no “Por aí” (edição Chile). Soberba!

      1. Sim, é essa mesma, Arthur. Acho ela a melhor versão de todas. Adoro! Quanto a essa versão americana, ela foi gravada pela mesma cantora (ou seria banda?) da versão japonesa, a tal da Sonia, né?

      1. Sério que nunca notou? Desde da primeira vez que escutei, percebi que era a mesma banda/cantora. Na verdade, isso não é tão incomum de acontecer. A própria música Cha la head cha la famosíssima abertura do Dragon Ball Z foi gravada em japonês e em inglês pelo mesmo cantor! Até na Wikipédia consta essa informação do Tenchi que te falei > Opening: Tenchi Muyo! (Japanese and English versions performed by SONIA). ^^

      2. É verdade, comparando as duas dá pra ver claramente que é a mesma cantora. Antes eu achava que a semelhança se dava apenas porque o estúdio responsável pela gravação da música havia contratado uma cantora com tom de voz bastante parecido com a original japonês, jamais passou pela minha cabeça que se tratava da mesma pessoa.

  3. Eu não gosto muito das coisas relacionadas à Portugal quando se trata de animes, mas essa abertura de Shaman King, se existisse um top de aberturas mundiais, certamente ela estaria lá… Dá de infinito a zero na versão brasileira, que tb não é ruim.

    Mas tb é só… As versões de Dragon Ball e El Hazard são sofridas…

  4. Morei um tempo em Portugal, então posso comentar aqui com alguma propriedade.😛

    Os portugueses são defensores de seu idioma ao extremo. Por isso, sempre tiveram o costume de traduzir e adaptar as canções de anime. Mas a qualidade duvidosa dos trabalhos de dublagem realizados no país fez com que a dublagem portuguesa ficasse marginalizada. O cenário de anime que tínhamos lá até 2007 era o seguinte:

    – A SIC Radical passava, de manhã, animes como Digimon Frontier e Dragon Ball, sempre em versões inteiramente portuguesas.
    – À tarde e à noite, era o Canal Panda, principal canal infantil de lá, que transmitia. Mas as dublagens portuguesas perdiam cada vez mais seu espaço. Muitos animes eram transmitidos com a versão brasileira (por exemplo, Kaleido Star) e havia até desenhos em espanhol, com legendas (Doraemon, por exemplo). Ainda assim, tive a oportunidade de assistir Digimon 2 e Tamers, além de Ojamajo Doremi, que nunca passou por aqui, nas suas versões portuguesas.

    Essa música do Dragon Ball que você postou foi utilizada também no Dragon Ball Z. Quer dizer, era a mesma melodia, com a letra modificada. Meu irmão é fã dela, assim como da que era utilizada no Super Campeões (chamado lá de Oliver e Benji). Eu, por outro lado, fiquei marcado por outras duas: a abertura do Digimon Tamers e o encerramento da primeira temporada de Ojamajo Doremi. Infelizmente não tenho nenhuma delas. Nunca fiz uma pesquisa, mas acredito que seriam raridades. ^^

    Para concluir, acabei esse esquecendo:

    – Essa versão de Shaman King é realmente espetacular, os vocais de fundo são geniais. Eu sempre tive uma teoria sobre ela, dada a semelhança da letra com a versão brasileira e o arranjo idêntico: será que eles não adaptaram diretamente da nossa versão?

    Os portugueses são tradicionalmente apaixonados por música e eu só um fã ao extremo do que eles produzem. Música portuguesa é um dos meus oásis, hehe. O problema é que há uma espécie de complexo de inferioridade por lá, fruto da baixíssima aceitação obtida pela música portuguesa no exterior e do fato do público jovem basicamente ignorar a música de seu país.

    O mainstream jovem de Portugal é a música americana, de maneira mais acentuada até do que aqui no Brasil. Só há espaço para o “hip-hop tuga”, que teve lá sua força, mas nunca se consolidou em larga escala. E para iniciativas pop esporádicas, principalmente na forma de Boys Bands e Girls Groups. O fado e as músicas de sonoridade portuguesa, especialmente as nortistas, só encontram eco na população mais velha e nas cidades e vilarejos mais afastados dos principais centros.

    Isso, por um lado, é uma pena, pois é um desperdício não dar oportunidade para gêneros musicais de tamanha qualidade. Por outro lado, possibilitou aos membros dessas realidades se unirem, visando proteger e divulgar esses elementos da cultura. É um movimento similar àquele pelo qual o samba passou durante as décadas de 80 e 90. Espero que, do mesmo jeito que o samba se reergueu e reencontrou seu espaço na grande mídia brasileira, que os ritmos tradicionalmente portuguesas possam também recuperar seus dias mais gloriosos.

    1. Já que você sabe muito sobre animês e também é português você sabe alguma coisa sobres as guerreiras mágicas de rayearth em Portugal muitos dizem que ai passou no canal panda se você sabe alguma coisa haver estou agradecido é para completar a pagina do Wikipédia sobre elas!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s